Notícias

Gasolina e gasóleo sobem de novo na próxima semana

De acordo, com os cálculos realizados pela AWAY, com base nas informações de operadores no setor, vêm aí fortes aumentos nos combustíveis a partir da próxima semana. A gasolina simples 95 irá subir 2 cêntimos e o gasóleo simples deverá subir cerca de 1,5 cêntimos por litro.

De acordo com os dados da Direção Geral de Energia e Geologia (DGEG), recolhidos a 14 de outubro, o preço médio do gasóleo simples é, à data de consulta, de 1,530 euros/litro (1,569 euros para o gasóleo especial), e o preço médio da gasolina simples 95 é de 1,726 euros/litro (1,745 euros para a gasolina 95 aditivada).

Depois do valor do Brent, referência internacional do preço do petróleo ter chegado perto dos 85 dólares o barril no passado dia 14 de outubro, é por demais evidente uma manutenção da tendência de subida do preço dos combustíveis.

Venda de automóveis cai 23% na Europa

Uma descida de 23,1% foi registada pelo mercado automóvel europeu no mês de setembro, em comparação com o mesmo mês do ano passado. A diminuição foi influenciada, em grande parte, devido à falta de “chips” e iguala os registos do longínquo ano de 1995.

Segundo a Associação de Fabricantes Europeus, os dados refletem a “escassez de veículos causada pela falta de semicondutores”.

Entre setembro de 2020 e setembro de 2021, os principais mercados registaram baixas muito significativas: 25,7% na Alemanha, 32,7% em Itália, 20,5% em Itália e 15,7% na Espanha. Desde o início do ano foram vendidos mais de 7,5 milhões de automóveis. Contudo, esse valor corresponde a menos 500 mil unidades por comparação com o ano transato.

A procura de componentes tem sido muito elevada, até porque o recurso aos sistemas eletrónicos é cada vez mais abrangente na produção dos novos automóveis. Por outro lado, os fabricantes também estão numa situação de concorrência com outras indústrias que necessitam desses “chips”, desde os computadores aos telemóveis.

Em contraciclo, no acumulado deste ano e até setembro, o grupo VW obteve uma subida de 8,1 % nas vendas, enquanto a Stellantis registou 8,3%. A BMW-Mini registou um aumento de 10,9%, a Toyota 19,8% e a Volvo 7,4%. No entanto, a Renault baixou 6,5%, a Daimler 5,6%, a Ford 11,2% e a Nissan 12,4%.